Com a queda de receitas provocada pelo Coronavírus, compromissos financeiros que estavam sob controle podem se tornar um problema. Se esse é o seu caso, renegocie suas dívidas.

  Débitos tributários, por exemplo, impedem a emissão de certidões negativas e limitam a competitividade da sua empresa. Consulte seu contador sobre parcelamento de dívidas com a Receita Federal. Assim, você vai ganhar fôlego para seguir com seu negócio.

  Débitos com fornecedores podem comprometer seu estoque e o funcionamento da sua empresa. Também é interesse do seu fornecedor negociar, porque ele ganha com o seu sucesso. Então é possível ajustar prazos, evitando multas, juros e negativação.

  A mesma coisa vale para dívidas de aluguel. É melhor manter um imóvel ocupado do que vazio. Nesse período de sufoco, negocie um período de carência ou desconto temporário.

  Dívidas bancárias podem se tornar um grande problema. Converse com seu gerente sobre como trocar os juros altos do cheque especial e do cartão de crédito por linhas de crédito mais baratas. Mas informe-se antes para saber quais linhas podem atendê-lo melhor.

  A crise pode ser uma oportunidade de identificar os desequilíbrios que estão causando dívidas na sua empresa. Lembre que todo consumidor e todo negócio são avaliados por meio de rankings de proteção de crédito. É o famoso SCORE.

  Essa pontuação vai de 0 a 1.000 e varia de acordo com os seguintes critérios:

1) pagamentos de contas em dia;

2) histórico de dívidas negativadas;

3) relacionamento financeiro com empresas;

4) dados cadastrais atualizados.

  Ter um bom SCORE é fundamental. Então cuide do dinheiro da sua empresa e também da imagem dela.